Eventos

Eventos futuros e passados do DV na Trilha

Imagem mostra duas duplas do DV no pódio

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Participação do Projeto DV na Trilha no Torneio Seletivo para o Mundial de Ciclismo Paraolímpico, em São Paulo-SP, com três conjuntos masculinos: Marcos Chambinho e Henrique, Danilo e Leomon, Othon e Wallace; e um conjunto feminino: Andréa Regina e Elizângela.


Participação do Projeto DV na Trilha no Torneio Seletivo para o Mundial de Ciclismo Paraolímpico, em São Paulo-SP, com três conjuntos masculinos: Marcos Chambinho e Henrique, Danilo e Leomon, Othon e Wallace; e um conjunto feminino: Andréa Regina e Elizângela.

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Participação da III Volta do Lago Caixa, com a participação dos DVs Wallace e Henrique no balizamento e proteção dos corredores participantes.


Participação da III Volta do Lago Caixa, com a participação dos DVs Wallace e Henrique no balizamento e proteção dos corredores participantes.

 

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

 06 e 07Mai2006 Superando Limites - Cicloturismo de Brasília a Pirenópolis, com a participação dos DVs: Wallace, Henrique e Justino. A participação dos deficientes visuais no Superando Limites é muito importante já que é a concretização dos principais objetivos do Projeto: inserção e integração social, pratica do mountain bike e uma opção de lazer. Quando um deficiente visual supera um limite, como ir pedalando de Santo Antônio do Descoberto à Pirenópolis, descobre que é capaz de superar vários outros limites que a vida lhe tenha trazido.


 06 e 07Mai2006 Superando Limites - Cicloturismo de Brasília a Pirenópolis, com a participação dos DVs: Wallace, Henrique e Justino. A participação dos deficientes visuais no Superando Limites é muito importante já que é a concretização dos principais objetivos do Projeto: inserção e integração social, pratica do mountain bike e uma opção de lazer. Quando um deficiente visual supera um limite, como ir pedalando de Santo Antônio do Descoberto à Pirenópolis, descobre que é capaz de superar vários outros limites que a vida lhe tenha trazido.

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Mar2006 - Início do primeiro curso do Projeto, para deficientes visuais, na tentativa de criar uma didática de ensino dos fundamentos de manutenção e condução das bikes.


Mar2006 - Início do primeiro curso do Projeto, para deficientes visuais, na tentativa de criar uma didática de ensino dos fundamentos de manutenção e condução das bikes.

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O Projeto - Pedal para o deficiente visual

Os grupos de ciclismo Mountain Bike Brasília e Rebas do Cerrado realizarão, no próximo dia 10 de dezembro/2004, das 9:00 hs. às 12:00 hs, no CEEDV (Centro de Ensino Especial para Deficientes Visuais) , 612 sul, uma ação social que visa introduzir os portadores de deficiências visuais na prática de esportes, em especial, do ciclismo.


O Projeto
Pedal para o deficiente visual

Os grupos de ciclismo Mountain Bike Brasília e Rebas do Cerrado realizarão, no próximo dia 10 de dezembro/2004, das 9:00 hs. às 12:00 hs, no CEEDV (Centro de Ensino Especial para Deficientes Visuais) , 612 sul, uma ação social que visa introduzir os portadores de deficiências visuais na prática de esportes, em especial, do ciclismo.

Proposta

Por meio de palestras, depoimentos de esportistas e passeios em bicicletas tandem (para duas pessoas) pretende-se fornecer aos Portadores de Deficiência Visual (PDV) informações sobre as possibilidades viáveis deles participarem de atividades físicas e se engajarem em práticas esportivas no Distrito Federal.

Objetivos

Tem-se como objetivo imediato motivar os PDV para a prática de atividades físicas, utilizando-a como instrumento para melhoria da auto-estima, da qualidade de vida e como opção de lazer. Pretende-se também promover a integração entre os PDV e a comunidade ciclística do Distrito Federal. A longo prazo pretende-se fornecer oportunidades de que os PDV possam se engajar em atividades, em especial a ciclística, participando de passeios, treinos e competições.

Sobre o evento

O evento acontecerá no dia 10/12/2004, das 9:00 hs. Às 12:00 hs, no CEEDV (Centro de Ensino Especial para Deficientes Visuais) na 613 sul.

Se dividira em 4 etapas:

1ª Etapa: PALESTRAS E DEPOIMENTOS
Das 9:00 hs. às 10:00 hs. da manhã, será ministrada uma palestra pelo professor MARCOS VINHAL CAMPOS, seguida de depoimentos dos atletas ABRAÃO AZEVEDO, JOAQUIM SOUSA e EMERSON TEIXEIRA.
Marcos Vinhal Campos é professor de Educação Física, Treinador Esportivo com experiência em treinamento de portadores de deficiência e autor e colaborador do livro ?Atividade Física Passo a Passo - Saúde Sem Medo e Sem Preguiça.
Abraão Azevedo é atleta da equipe Specialized/Amazonas, considerado como um dos melhores ciclistas do país, colecionando, dentre inúmeros outros títulos, o campeão Pan-Americano de MTB cross-country, campeão 2004 da Copa Ametur , 1º lugar da Volta Ciclística de Santa Catarina de 2004.
Joaquim Sousa é ciclista, praticante da modalidade há muitos anos, teve uma de suas pernas amputada em decorrência de um tratamento oncológico há um cinco anos atrás. Atualmente participa como paradesportista de competições locais e nacionais.
Emerson Teixeira é professor na cidade de Ceilândia. Ficou nacionalmente conhecido por criar o que chama de ?bicicletas cabulosas?, ou seja, espécies de triciclos específicos para atender à portadores de necessidades especiais. O seu mais novo projeto: a 12ª tricicleta foi projetada visando atender aos portadores de deficiência visual e será doada à CEEDV no dia 10/12/2004.

2ª ETAPA: APRESENTAÇÃO DE EQUIPAMENTO CICLÍSTICO
Após a palestra, os PDV terão oportunidade de conhecer os tipos de equipamentos de segurança e acessórios utilizados pelos ciclistas. Será montada uma bancada, onde estes equipamentos poderão ser manuseados. Haverá também pessoas habilitadas para fornecer explicações e as esclarecer dúvidas dos alunos.

3ª ETAPA: LANCHE NATALINO
Entre às 10:00 hs e às 11:00 hs da manhã será oferecido aos alunos do CEEDV e aos seus familiares presentes um gostoso lanche Natalino.

4ª ETAPA: PASSEIO EM BICICLETA TANDEM
O ponto culminante do evento será possibilitar aos portadores de deficiência visual o doce prazer de sentir o vento no rosto que uma volta de bicicleta proporciona, por meio de um passeio em bicicletas tandem.

Realização

Mountain Bike Brasília: www.mountainbikebrasilia.com.br
Rebas do Cerrado: www.rebasdocerrado.com.br

Apoio

Emerson Teixeira: www.osteixeiras.com.br
Coroas do Cerrado: www.coroasdocerrado.com.br
ONG Rodas da Paz: www.rodasdapaz.org.br

Contatos

Simone Cosenza 8402-0773 MtBB
Marcelino Brandão 326-3672 Rebas do Cerrado
Danilo Hayakawa 8402-4924 MtBB
Marcos Vieira 9213-9697 MtBB


Depoimento Denir

Alô galera...
taí um evento que eu não podia perder.... e perdi!!!

Vou em (quase) tudo que envolve bicicleta, de reunião no Min.Cidades a passeios ciclísticos, mas neste evento que eu tinha maior interesse, não pude ir, saco!

Sou um fã das bicicletas tandem. Tanto é que fiz uma a partir de dois quadros nuvem aro 20, para levar meu filho ao colégio.

E acho que a deficiência visual é a pior delas, pois nosso mundo da cultura, arte e diversão é um mundo de imagens e cores.

Quando vi os ciclistas deficientes visuais nas Paraolimpíadas, achei a coisa mais incrível do mundo. Pois nunca imaginei que alguns meses depois teria a satisfação de ver a mesma coisa aqui em Brasília, e melhor do que nas Paraolimpíadas: lá são atletas, aqui foram pessoas que por certo puderam pedalar pela primeira vez uma bicicleta.

Eu tinha programado levar minha tanvem (tandem-nuvem) para pedalar com as crianças. Mas hoje seria dia de reunião quinzenal de coordenação aqui no meu setor. Eu disse seria, porque o chefe adiou.

Resumindo: deixei de ir a este evento que já marcou a história do ciclismo brasiliense por causa de uma reunião que nem houve! Não é para ficar puto?!! (ah, sim, também deixei de ver ao vivo a maior concentração de tandems do Brasil!!!)

Gostaria de agradecer muito aos membros do Rebas do Cerrado que estiveram lá e que apoiaram de uma forma ou de outra, ao pessoal do MountainBike Brasília e todos que tornaram possível este evento acontecer.

Como ciclista, estou orgulhoso do que vocês fizeram. Vou pedalar nas ruas com a certeza de que vão olhar para mim e dizer: \\\\\\\\\\\\\\"vejam, um ciclista, eles gostam de ajudar pessoas\\\\\\\\\\\\\\".

Repito: um evento histórico.
Viva a bicicleta!

Denir


Depoimento Marcos Vieira (Chambinho)

Uma correção ....

No Jornal de Brasília disseram que as crianças do CEEDV iriam ganhar um presente ...

Acho que nós mesmos não sabíamos que os grandes presenteados seríamos nós nesta manhã !!!

Em meio a uma cortina de alegria, que às vezes molhava os nossos olhos, tivemos a oportunidade de ver e sentir sorrisos sendo distribuídos a quem quisesse recebê-los.

Emocionante, como é também o relato da Simone, integrante da Comissão Organizadora. Não há nada o que acrescentar.

Parabéns a todos que de corpo e/ou espírito, estiveram presentes e contribuíram para que esta manhã fosse especialmente maravilhosa.

Abraços

Marcos Vieira
(Chambinho)


Depoimento Elias Paniago Pereira

Olá pessoAll !

O encontro no CEEDV, na 613sul, foi uma maravilha. Sucesso absoluto.

A professora e psicóloga/RH da instituição, Dinália Seixas, disse que a expectativa gerada entre os alunos foi maravilhosa. Eles aguardaram, durante toda a semana, a chegada da 6ª feira para participarem da programação organizada e promovida pelo Mountain Bike Brasília e Rebas do Cerrado, com os apoios de: Rodas da Paz, Pier 21, Coroas do Cerrado, Os Teixeiras, entre outros.

Foi 10! Agora está na hora de doarmos 20 capacetes e 20 pares de luvas para a instituição, para que os professores possam andar com os alunos nas tandem que serão feitas doadas para o CEEDV. O Emerson, Carraca e o Charles já se dispuseram a construir as bikes que serão doadas, e os Coroas do Cerrado já entraram com algumas das bikes doadas ao programa que eles desenvolveram. O Emerson já doou uma bike para a instituição, a Cabulosa,(que por sinal fez muito sucesso!) e levou algumas pra começar a trabalhar em novos modelos.

Você pode encaminhar a sua doação ao Bob, Marcelino, Simone, Danilo, Marcos (Chambinho)

\\\\\\\\\\\\\\"Neste Natal já está dando pedal para o deficiente visual.\\\\\\\\\\\\\\"

Abç,
Elias Paniago Pereira - PikiDaTrilha Brasília/DF


Depoimento da
Comissão de Organização do projeto Pedal para o Deficiente Visual

Conseguimos!!!! Conseguimos!!!

É o que líamos no olhar de todos os presentes na nossa Ação Social \\\\\\\\\\\\\\"Neste Natal Vai Dar Pedal Para o Deficiente Visual\\\\\\\\\\\\\\", no olhar de cada ciclista, de cada voluntário, de cada professor, palestrante e do diretor.

Mas nenhum brilho reluzia mais do que o do olhar dos portadores de deficiência visual. E o olhar deles brilha? Brilha. Brilha o olhar. Brilha o sorriso. Brilha o coração acelerado e as mãos trêmulas. Brilha o grito de: \\\\\\\\\\\\\\"Eu sou um campeão!!!\\\\\\\\\\\\\\", como um deles repetia sem parar.

O evento foi programado para atender aos adolescentes e adultos, mas foi impossível conter as crianças em suas salas de aula.

Posteriormente saberíamos que nos trabalhos de arte daquela semana a bicicleta estava sempre presente.

Eles invadiram o pátio e, insatisfeitos em apenas tocar nos nossos equipamentos e bicicletas, quiseram experimentar a satisfação de pedalar. E pedalaram em meio a uma incontida gritaria que fez com que nossos palestrantes precisassem falar um pouco mais alto para serem ouvidos.

Mas como recriminar tamanha alegria e empolgação? Não dá. Pois que gritem!!!!! Eles merecem.

Nós falamos mais alto para que os adultos consigam nos ouvir.

Foi uma cena de amolecer qualquer coração. Não conseguimos conter nem os gritos das crianças e nem as nossas lágrimas...

Quando chegou a hora dos adultos pedalarem as reações não foram diferentes. Homens e mulheres de muita coragem se dispuseram a superar mais um limite: para a maioria, pedalar pela primeira vez na vida. Tinha sentimento de tudo quanto é jeito: medo, receio, ansiedade, desejo...

- Agora vou colocar o capacete em você. As luvas. Aqui é o guidão, o pedal, ...

- E precisa mesmo de capacete?

- Sim. Capacetes e Luvas são imprescindíveis para a segurança do ciclista.

- Ciclista? Eu sou um ciclista? - ele perguntou com um tom de voz um pouco mais forte.

- Claro! Está pedalando, é um ciclista sim.

- Uau! Sou um ciclista... sou um ciclista!
Saiu ele repetindo enquanto iniciava a sua pedalada na tandem.

E assim transcorreu a nossa bela Ação Social, repleta de muita emoção.

Fazendo um balanço, concluímos que o nosso evento foi um SUCESSO.

Todos, sem exceção, saíram de lá melhores do que quando entraram. Não poderia ter sido melhor.

Este sucesso só foi possível em função do grande apoio que recebemos.

MUITO OBRIGADO!!!!!!!!!!!

À iniciativa e parceria dos grupos de ciclismo Mountain Bike Brasília e Rebas do Cerrado, e dos seus integrantes que trabalharam incansavelmente nestes últimos dias.

Pela boa vontade e acolhimento do Sr. Airton e Srª. Angélica - diretor e vice-diretora do CEEDV.

Pela excelência dos nossos palestrantes: Marcos Vinhal, Joaquim Sousa, Emerson Teixeira e Abraão Azevedo.

Pela presença significativa dos representantes da Ong Rodas da Paz, Beth Veloso e Leandro Salim.

Pelo apoio oferecido pela Secretaria de Esporte e Lazer do Distrito Federal, muito bem representada pela Srª. Bibiane - gerente para Portadores de Necessidades Especiais.

Pelo delicioso lanche natalino oferecido pelo Shopping Pier 21.

Pela contribuição do grupo \\\\\\\\\\\\\\"Coroas do Cerrado\\\\\\\\\\\\\\" que por meio de sua campanha \\\\\\\\\\\\\\"Bsb Bike Radical\\\\\\\\\\\\\\" doou bicicletas para o Emerson Teixeira que, por sua vez, criou uma \\\\\\\\\\\\\\"tricicleta cabulosa\\\\\\\\\\\\\\" específica para atender as necessidades dos portadores de deficiência visual e a doou para o CEEDV.

Agradecemos também a presença dos grupos de ciclismo Piki na Trilha e Perebas do Cerrado. À Academia Open Sports 21 que nos emprestou as bicicletas de spinning, e às lojas de ciclismo Bike Tech, Cycling, Leão Bikes, Super Bike 101 e Veloce que nos cederam bicicletas e seus atletas nesta manhã. À pessoas que nem conhecemos e que, solicitadas em meio ao seu passeio de tandem, nos emprestaram suas bicicletas. À presença de grandes nomes do ciclismo do Distrito Federal.

Por fim, agradecemos aos nossos grandes campeões deste evento: os alunos do CEEDV que nos permitiram participar do belíssimo momento de mais esta conquista em suas vidas: experimentar o doce gosto do vento no rosto que o pedalar nos traz.

Foi plantada a sementinha no coração de cada um deles, que não vêem a hora de repetir a experiência.

Agora, pedaladores, aumentou a nossa responsabilidade.

Só nos resta \\\\\\\\\\\\\\"arregaçar as mangas\\\\\\\\\\\\\\" e nos preparar para dar continuidade ao Nosso Projeto de inserir os portadores de deficiência visual no meio ciclístico.

A contribuição de cada um de vocês é fundamental para a concretização da nossa próxima realização e a disponibilidade que cada integrante demonstrou hoje nos enche o coração de orgulho por fazermos parte do meio ciclístico do Distrito Federal.

\\\\\\\\\\\\\\"Saudações a quem tem coragem, aos que estão aqui prá qualquer viagem.\\\\\\\\\\\\\\"

Grande abraço,

Comissão de Organização do projeto Pedal para o Deficiente Visual.
Publicado no Jornal do Brasil (caderno de BSB)


Artigo de Ana Carolina Freitas
Um passeio diferente na bicicleta
Ciclistas dão aulas para deficientes

Os alunos do Centro de Ensino Especial para Deficientes Visuais (CEEDV-DF) vão ganhar um presente especial neste Natal. Hoje, os dois maiores grupos de ciclistas da cidade, Mountain Bike Brasília e Rebas do Cerrado, organizarão palestras e passeios de bicicleta com o objetivo de incluir os deficientes em práticas esportivas.

A partir das 9h, os cerca de 80 alunos da escola vão aprender sobre o esporte e terão a oportunidade de andar de tandem (bicicleta especial com dois bancos e quatro pedais). A escola cercou um espaço de 1,5 mil metros para a prática.

Segundo um dos organizadores, Bob King, o projeto é só uma amostra do que os atletas pretendem fazer. Sua proposta é estimular os alunos para participar de trilhas e passeios regulares organizados pelos grupos.

- Esta é a primeira vez que ciclistas vão até o centro para mostrar sua atividade. Queremos que eles tenham acesso ao esporte, mesmo com limitações - disse.

O professor de Educação Física Marcos Vinhal Campos, especialista em atividades com deficientes, abrirá o evento com uma palestra que mostrará aos alunos as diversas formas de inclusão esportiva, para aumentar a auto-estima e o funcionamento do corpo. Ele contará com a ajuda de dois atletas de destaque como Abraão Azevedo e Joaquim Sousa. Emerson Teixiera, que dá aulas para deficientes da Ceilândia, apresentará um novo modelo de tricículo adaptado para portadores de deficiência visual.

Após a palestra, os estudantes conhecerão equipamentos de segurança e acessórios utilizados pelos ciclistas. Em uma bancada, todas as peças poderão ser manuseadas. Em seguida, os cilistas servirão um lanche natalino, vindo por fim os passeios de bicicleta.


Depoimento de Walter Graneiro

Simone e Colegas,

Estou à beira dos 50 e assim como os demais membros da \\\\\\\\\\\\\\"diretoria\\\\\\\\\\\\\\", como costuma aclamar o Glorioso Dr. Mauro Thompson, ou seja a turma do cabelo branco, já ví muitos \\\\\\\\\\\\\\"filmes\\\\\\\\\\\\\\" ruins e bons ao longo da minha vida. Mas o de hoje foi um dos melhores...realmente foi show....emocionante....e como vc disse, realmente saí de lá melhor...numa simples manhã na companhia de todo aquele pessoal do CEEDV e dos amigos do ciclismo do DF crescí muito, aprendí muito e estou certo de que todos que lá estiveram sentiram a mesma coisa.

Tb concordo com vc que agora assumimos uma grande responsabilidade e compromisso com a continuidade desse e de outros projetos similares, pois plantamos a semente e geramos uma grande expectativa naquela turma. Assim, acho que da mesma forma como temos uma agenda de trilhas, deveríamos pensar tb numa agenda de eventos como esse, que tanto dignificam nosso esporte/lazer, guardadas, naturalmente, as devidas proporções e possibilidades.

Sou empresário e vivo do meu trabalho. Se trabalho, ganho, se não trabalho, não ganho. Hoje abrí mão do meu trabalho no período da manhã, mas estou certo de que ganhei muito mais do que se estivesse no escritório. Recomendo aos que não puderem, ou não quiseram ir, que no próximo evento não deixem escapar mais essa oportunidade, pois vcs não fazem a menor idéia da grandeza que foi essa manhã com aquela turma. Coisa pra se guardar no coração e na memória e, no futuro, contar pros filhos e netos....simplesmente 10.

Vc, Simone, o pessoal q organizou o evento e todos os que lá estiveram estão de parabéns. O ciclismo no DF hoje deu um grande passo, que tomara seja apenas mais um de vários outros que todos nós poderemos dar adiante.

E mais ainda, ou off topic: no dia 13.09 me estabaquei lá no Parque da Cidade, quebrei o úmero, fiz cirurgia, com direito a arame pra amarrar os pedaços, etc. e tal. Hoje, no entanto, faltando apenas 3 dias pra completar 3 meses de absoluta abstinência ciclística, meu dia ficou melhor ainda pq lá no evento tive a oportunidade de arriscar e experimentar a bike do meu Digníssimo Amigo e Professor César e verificar q já estou em condições de reiniciar, ainda que de leve, meus pedais diários. O braço doeu um pouco mas funcionou o suficiente pra pedalar \\\\\\\\\\\\\\"sem caramanholas e onde não havia quebra-molas\\\\\\\\\\\\\\".

Não me contendo, tomei emprestada a bike do Glorioso Dr. Padilha, em seguida a bike da Magnífica Dra. Ana Paula, em seguida uma volta de Tandem, outra no triciclo cabuloso.....e pronto....ví q já tinha condições de retornar.

Daí, fui direto pra casa, bike pra Veloce, revisão urgente urgentíssima e à tarde rodei meus primeiros 12 km no Parque da Cidade.

Muito inseguro, a 15km por hora (velocidade máxima...rs...), o ombro doendo a cada pequena ondulação, mas com um prazer enorme do vento na cara e a sensação de liberdade.....muito bom....isso todos nós sabemos, né não?

Imaginem o que devem ter sentido os colegas do CEEDV? Portanto, Ilustres, retornei....rs.....Walter, o Rei dos Quebra-Molas, com Caramanholas.....agora de volta lá pra rabeira das trilhas, com a turma da cozinha...pedalando devagar...empurrando muito.....rs....por favor...tenham paciência comigo.....e não me abandonem lá pra traz nas trilhas....cuidem bem do Tio aqui...lembrem-se com todo o carinho dos sandubas e dos tubos de hipoglós que sempre ofereço, a preços módicos, a partir da metade das trilhas em diante.....rs...

Abs a todos....

Walter O+


Artigo do Correio Braziliense

Foi uma alegria só, para crianças e adultos.

Todos são alunos do Centro de Ensino Especial para Deficientes Visuais.

Reis não pedalava há anos. ?Me senti numa performance genial?, comemora.

Ele deu voltas pela quadra. O entusiasmo foi tanto que não deu pra segurar o grito, na chegada.?Vitória!?

Cada um dos alunos sentiu o gostinho dos movimentos livres na pista. ?É uma sensação boa, de voltar novamente às atividades?, diz o estudante José Alves Neto.

Igor Carvalho, 8 anos, estava muito ansioso e garantiu que consegue andar de bicicleta sozinho. ?Eu sei andar sozinho em uma bicicleta de duas rodas. É só ter equilíbrio e virar com a bicicleta. Eu me guio pelos vultos?, garante.

?Para muitos, essa foi a primeira vez que andaram de bicicleta. A satisfação, a alegria e a auto-estima lá em cima vão ajudar o aluno em todos os sentidos?, afirma Airton Dutra de Farias, diretor do Centro de Ensino Especial.

As atividades foram programadas por dois grupos de mountain bike.

Querem estimular a prática de esportes entre os deficientes visuais. ?A escola foi super receptiva e nós estamos aqui hoje vendo os sorrisos das crianças e dos adultos?, comemora o ciclista Bob King.

?É gostoso estarmos nos unindo para trabalhar por uma boa causa. Se cada um fizer um pouquinho, acho que conseguimos transformar o mundo. Precisamos fazer coisas melhores para ver as pessoas sorrirem. É muito gratificante?, ressalta a preparadora física, Graziela Ricardi.

Nas Paraolimpíadas já são feitas competições com esse tipo de bicicleta dupla.

Onde nos encontrar

Nos reunimos, quinzenalmente, aos sábados, às 9h no Jardim Botânico de Brasília
SMDB Cj 12 CL - Lago Sul, Brasília - DF, 71680-001

Quando

Contato

Para mais informações: 

Perfil do Facebook 

E-mail: contato@dvnatrilha.com.br

Telefone: (61) 99952-0607

www.dvnatrilha.com.br Copyright © 2012 DV na Trilha. Todos os direitos reservados - Ambiente sujeito a monitoração.

Buscar