POR SIMONE COSENZA: Nenhum aprendizado é em vão...

Sexta-feira, 09/04/2010, final de expediente:

- Aí, Simoninha, mais um DV confirmado.

- Uai, é?! Quem? Ninguém me ligou...

- O Marcelino que mandou o e-mail confirmando. É o Rubens.
Ele é surdo-mudo e tem deficiência visual: baixa-visão.

- ...

- ...

- Caracas!!! ... como vamos nos comunicar com ele então?

Ficamos eu e Bruno conversando e imaginando como seria isso.
Sábado já estava chegando e não daria mesmo tempo de fazer nada...
Quer dizer, fizemos o que se faz numa situação dessas: entregamos a Deus!!!
Mal sabíamos que esse era o desafio mais simples a superarmos.

Sábado, nove e pouco, chegamos ao nosso Projeto.

A Iza vê um DV do lado de fora indo embora.

- Ei! Ei! - chamamos.

E nada...

Pensei: só pode ser o Rubens.
Naturalmente... gritei:

- RUBENS!!!!!!!!!!!!!!!!

- Ow! Ele é surdo!!!!!!

- Aié mesmo... ?!?!

1º ?mico?

E o homem indo embora. Tomara que não dê tempo de pegar o ônibus. Corremos e chamamos o vigia para abrir o portão.

-Tum, Tum, Tum - esse era o nosso coração ansioso.

Já pensou... a primeira vez que um DVSM (deficiente-visual-surdo-mudo) vem prestigiar o Projeto e vai embora sem nos encontrar.
Sem sentir o vento no rosto que o pedalar nos traz. Sem poder experimentar aquela maravilhosa sensação de liberdade. Não pode... não pode...

De repente, enquanto o vigia abria o portão, em clara intuição, o Rubens pára se vira para nós.

UAU!!!!!!!!!!!
Abanamos as mãos freneticamente.
Mas ele não viu... ele não vê... tem baixa visão...

2º ?mico?.

O portão foi aberto... UFA!!!!!!!!!!!
Corremos ao seu encontro. De pertinho e contra a luz ele conseguiu nos ver e, aliviado, abriu um sorrisão apontando para o relógio e perguntando algo...

Na verdade, foi um alívio para nós três e tentamos infrutiferamente nos comunicar nos primeiros minutos.

Ele apontando para o joelho e fazendo sinal de ?pequeno? com os dedos.

Perguntei - você sente uma pequena dor no joelho?

Ele abriu os dois braços em torno do próprio corpo.

- Já sei, já sei, você está se sentindo farto, mal, algo assim?

- Você consegue ler meus lábios?

3º mico - baixa visão não vê detalhes, não dá para ler lábios ...

A cara de interrogação do Rubens, a cada pergunta, era de dar dó.
Só não era maior que a cara de interrogação minha e da Iza enquanto ele gesticulava alucinadamente dizendo um monte de coisas loucas (no nosso limitado entendimento gestual).

Mas a sintonia do coração e da solidariedade é infalível.

Passados alguns minutos, tomamos fôlego e recomeçamos.
Milagrosamente (no sentido mais literal da palavra: coisas de Deus mesmo!!!!), ele fez o primeiro gesto novamente e nós entendemos perfeitamente sua ?voz?:

- ?Espera só um pouquinho que vou trocar de roupa para poder pedalar?.
- ?Beleza? - gesticulamos, e ele entendeu.

Antes de ir, ele repetiu o segundo gesto e também entendemos:

- ?Cadê o Marcelino??
- ?Ele chegará daqui a pouco?.

Daí lembrei, em euforia, que eu sabia aqueles sinais de LIBRAS (Linguagem Brasileira dos Sinais) gravado em um daqueles folhetins que eu havia comprado há muuuuuuuuuuuuuuuiiiiiiiiiiiiiiito tempo de um surdo-mudo em um bar e acabei decorando pois ?um dia poderia precisar?.

Pronto, aí a comunicação fluiu.

Pedalamos e foi uma maravilha...

A Rosi e a Mari, na maior empolgação, fazendo planos e concretizando uma dupla que promete muito sucesso.
Wallace ensinando a Iza a conduzir.
Danilo apoiando a Iza.
Eu e Valéria, no carro, apoiando todos.
Bruno e Reginaldo falando de pneu furado e vento-contra, entre risadas, para justificar o ar ofegante.
Marcelino e Rubens criando símbolos para se comunicarem enquanto pedalavam.

Chegamos e comemoramos: todo mundo agüentou bem!!!
Uhhhhhhhhhhhuuuuuuuuuuuuuu!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Até que o Wallace, deficiente visual, perguntou: o Rubens agüentou ir e voltar?

- Sim, agüentou!!!!

- Parabéns, Rubens!!!! Gritou o Wallace batendo palmas.- Wallace ele não ouve...
Silêncio total...
- Mas, mas eu quero dar os parabéns para ele... disse o Wallace frustrado e inconformado.

Gente, aí vimos que esse seria o nosso maior desafio: promover a comunicação entre os DVs e os DVSMs.
Parem e pensem sobre isso...

Peguei nas mãos do Wallace e mostrei a ele como se batia palmas em LIBRAS (levantando as mãos e balançando-as em torno de si mesmas- o Marcelino havia me ensinado a pouco).
Wallace entendeu.
Pediu para ir para perto do Rubens e, silenciosamente, fez os gestos.
Rubens se emocionou.
Mas o Wallace não viu.
Rubens gesticulou.
Mas o Wallace não viu. Wallace não vê... é cego total.
Rubens puxou o Wallace e deu um abraço nele.
Aí o Rubens ?falou? e o Wallace ?viu?.
Eles comemoraram.
Comemoraram o pedal e comemoraram a magia daquela comunicação permeada pelo mais genuíno amor.

Muita muita muita emoção. Haja lágrimas nos olhos...

Micos a parte, solidariedade em evidência, está aí o nosso Projeto Deficiente Visual na Trilha voltando à ativa e nos enchendo de vida e motivação.

Agradeço a presença de todos e convido, quem quiser passar por estas e mais outras emoções, que venha nos conhecer e participar da superação dos nossos constantes desafios.

E, agora dia 13/04/2010, terminando de escrever esta cartinha para vocês, ouço o Bruninho dizendo:

- Aí, Simoninha, mais quatro DVs confirmados!!!! O Marcelino acabou e mandar um e-mail.

Um calafrio me percorreu a espinha e não paro de pensar... de onde tiraremos tantas tandem-bikes e condutores para atendermos nossos antigos DVs e os novos que não param de chegar?
Não sei...
Mas, de onde tiraremos o amor que precisamos para dar continuidade ao Projeto eu não tenho dúvida alguma.
É só perguntar a qualquer um dos nossos voluntários e condutores.

Um grande abraço e até sábado!!!
Abaixo o tal e-mail que o Bruno falou que acabou de receber.

Simone Cosenza
Coordenação do Projeto DV na Trilha

 


 

?Caro Danilo

Nesse sábado não poderei ir porque tenho um curso na Casa de Espanha sobre o Caminho de Santiago.
A minha tandem está à disposição se precisarem.
É só me ligar e coordenar o ?apanha?.
O Rubens gostou muito de pedalar no sábado passado e fez a maior propaganda lá no CEEDV.
Resultado: um bando de cegos estimulados.
Assim para esse sábado 17, deverão aparecer lá:
-Rubens (baixa visão, surdo e mudo)
-Wanderson (baixa visão, surdo e mudo) => para teste
-Adalberto (cego total) => para teste
-Jonys (baixa visão) => para teste
Boa sorte para vocês.
Um grande abraço

Marcelino?

Texto elaborado por Simone Cosenza.
Coordenação do Projeto Deficiente Visual na Trilha
Brasília-DF, 13Abr2010

Onde nos encontrar

Nos reunimos, quinzenalmente, aos sábados, às 9h no Jardim Botânico de Brasília
SMDB Cj 12 CL - Lago Sul, Brasília - DF, 71680-001

Quando

Contato

Para mais informações: 

Perfil do Facebook 

E-mail: contato@dvnatrilha.com.br

Telefone: (61) 99952-0607

www.dvnatrilha.com.br Copyright © 2012 DV na Trilha. Todos os direitos reservados - Ambiente sujeito a monitoração.

Buscar